Mulher Ingrata

Arreio de Ouro

Mulher ingrata e vigida Não ignorei o meu disser... Todo mau da minha vida. Já vem do seu proceder... Sem destino, meus e casos. Com sorrisos e beijos falsos. Me deixa-se alucinado. Meu sofrimento é sem pausa. Oh mulher por tua casa vou morre embriagado. Embriagado eu pensei que além dos teus camaradas Me perguntam porque eu bebo Pra cair pelas calçadas Eu ergo a cabeça É respondo pros meus amigos Que não bebo por vaidade Bebo pra espairecer De uma magoa esquecer. Toda minha desventura Traz o gado com amargura E o meu coração reclama E o que mais diminui É eu lembrar que já fui Da alta sociedade Porém, pra viver sozinho Triste igual a um passarinho Na gaiola da saudade. Minha família comenta Minha mãe vive reclamando Papai vive satisfeito Minha mãe vive reclamando Papai já vem me abraçando E vendo a hora de morrer Com o rosto molhado em prantos Me pego com todo santo Pra eu deixar de beber. Quando passa as agonias Eu faço a garantia Juro que não bebo mais Ai se vê os namorados Se beijando e agarrando Com aquilo eu me comovo A saudade ela vem Eu pego á lembrar de meu bem Peço uma e vou beber de novo. Triste de quem se apaixona Como eu me apaixonei Foi por causa de... Quando eu estou bebendo Minha mãe chega dizendo Vai pra casa filho amado Saio pelas ruas tomando E o povo atrás gritando Eita homem apaixonado Eita homem apaixonado.

* A letra está errada? Por favor, envie a correção

* Essa letra é repetida ou pertence a outro artista? nos informe