restaurar

Ana

Engenheiros Do Hawaii

Eu que falei: "nem pensar..." Agora me arrependo, roendo as unhas Frágeis testemunhas De um crime sem perdão Mas eu falei sem pensar Coração na mão, como refrão de bolero Eu fui sincero Como não se pode ser Um erro assim tão vulgar Nos persegue a noite inteira E, quando acaba a bebedeira, Ele consegue nos achar Num bar Com um vinho barato Um cigarro no cinzero, E uma cara embriagada no espelho do banheiro Ana Teus lábios são labirintos, Ana Que atraem os meus instintos mais sacanas Teu olhar sempre distante sempre me engana Eu entro sempre na tua dança de cigana Teus lábios são labirintos Que atraem os meus amigos mais sacanas Teu olhar sempre distante sempre me engana É o fim do mundo todo dia da semana

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.