restaurar

a Água Benta

Gilberto Gil

Compositor:Gilberto Gil

A água benta que batizou Contaminou o bebê A medicina e o seu doutor Nada puderam fazer O desespero se apoderou Do padre, do pai, da mãe Foi quando então alguém se lembrou De um feiticeiro de Ossãin Um simples banho de folhas fez O que não se esperava mais Depois, depois muitos muitos anos depois Rapaz, aquele menino já então rapaz Se fez um rei entre os grandes babalaôs Dos tais, dos tais como já não se fazem mais A água benta que ao bel prazer Se desmagnetizou Desconectada do seu poder Por um capricho do amor Amor condutor do élan vital Que o chinês chama de ch'i Que Dom Juan chama de nagual Que não circulava ali Ali na grã pia batismal O amor deixara de fluir Talvez por mero defeito na ligação Sutil entre a essência e a representação Verbal que tem que fazer todo coração Mortal ao balbuciar sua oração A água benta que o bom cristão Contaminou sem querer A fonte suja que o sacristão Utilizou sem saber A força neutra que move a mão Do assassino o punhal E o bisturi do cirurgião O todo total do Tao Lâmina quântica do querer Que o feiticeiro o sabe ler Fractal, de olho na fresta da imensidão Sinal, do mistério na cauda do pavão Igual, ao mistério na juba do leão Igual, ao mistério na presa do narval

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.