restaurar

Lia

Gilberto Gil

Eu estava na beira da praia Ouvindo as pancadas Das águas do mar Essa ciranda quem me deu foi Lia Que mora na Ilha De Itamaracá Eu estava sem saber da vida A manhã perdida Na beira do mar Eu estava na beira e não via Que o mar prometia Morrer, deslindar Depois veio aquela menina E meu corpo queria Crescer, navegar Essa manhã de dor, essa alegria Essa vontade nova em frente ao mar Essa primeira esperança comovida De ter de, de ter de atravessar Essa janela aberta, essa varanda Essa manhã desesperada e branda Essa ciranda quem me deu foi Lia Que mora na ilha De Itamaracá

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.