Mô Deuso

Gino e Geno

Por causa de umas bestage tão besta, Umas bobage tão boba, Ocê me largô ieu. Me deixô ieu na solidão Sofrendo tão só Quando ocê se iscafedeu. Consói que a terra há de comer Eu te vi indo embora, E pedi pra mo deuso: "mo deuso excumunga essa muié Que não mais me quer, Mata ela pra ieu! Mo deuso excumunga essa muié Que não mais me quer, Mata ela pra ieu!" "trucida meu jesuize" Ó mo deuso Manda logo aí de riba Um caminhão de ripa Na cacunda dela. Tomara que ela pegue dengue Fique bem perrengue E que quebre a espinhela Ó mo deuso Manda logo esse castigo Ela brigô comigo E não mais me qué eu Tomara q'a negócia dela Encha de pareba Pra num dá pr'otros homi O que ant'onte era meu A huuu mo deuso, ela cabo comigo, mas eu to com raiva um besurdo Por causa de umas bestage tão besta, Umas bobage tão boba, Ocê me largô ieu. Me deixô ieu na solidão Sofrendo tão só Quando ocê se iscafedeu. Consói que a terra há de comer Eu te vi indo embora, E pedi pra mo deuso: "mo deuso excumunga essa muié Que não mais me quer, Mata ela pra ieu! Mo deuso excumunga essa muié Que não mais me quer, Mata ela pra ieu!" Ó mo deuso Manda logo aí de riba Um caminhão de ripa Na cacunda dela. Tomara que ela pegue dengue Fique bem perrengue E que quebre a espinhela Ó mo deuso Manda logo esse castigo Ela brigô comigo E não mais me qué eu Tomara q'a negócia dela Encha de pareba Pra num dá pr'otros homi O que ant'onte era meu Ô muié fé das unhas sô... escumungada

* A letra está errada? Por favor, envie a correção

* Essa letra é repetida ou pertence a outro artista? nos informe