restaurar

Poeira da Estrada

João Paulo e Daniel

Levantei a tampa voltei ao passado Meu mundo guardado dentro de um baú Encontrei no fundo todo empoeirado O meu velho laço bom de couro cru Me vi no arreio do meu alazão Berrante na mão no meio da boiada Abracei meu laço velho companheiro Bateu a saudade,veio o desespero Sentido o cheiro da poeira da estrada Estrada que era vermelha de terra que o progresso trouxe o asfalto e cobriu Estrada que hoje chama rodovia, Estrada onde um dia meu sonho seguiu Estrada que antes era boiadeira, Estrada de poeira,de sol,chuva e frio Estrada ainda resta um pequeno pedaço A poeira do laço que ainda não saiu Poeira da estrada,só resta saudade Poeira na cidade é a poluição Não se vê vaqueiros tocando boiada Trocaram cavalo pelo caminhão E quando me bate saudade do campo Pego a viola e canto a minha solidão Não me resta muito aqui na cidade E quando a tristeza pega de verdade Eu mato a saudade nas festas de peão

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.