restaurar

Rosa Branca

Lourenço e Lourival

Edward de Marchi Valsa Quando a luar da saudade Bater na janela do seu coração Tirando voce da sombra do orgulho Que some entre a luz da razão Voce verá seus encantos Em gotas de pranto caído no chão É o adeus mocidade Pra sua vaidade lhe acenando a mão. Que vale a flor sem orvalho Já murcha no galho sem mais salvação Sem doce mel e sem perfume Sem seus vaga-lumes lhe dando atenção. Você é a flor sem escolha Que em folha por folha a formiga dá fim E vai sentir rosa branca A mesma dor que arranca esta valsa de mim.

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.