restaurar

Balaio do Veremundo

Luiz Gonzaga

O Coroné Veremundo Dança ruim mais invento Uma dança que o Salgueiro Cum seu nome batizou O Balaio de Veremundo Tem as minhas de autor Pra você dançá balaio Tem que ficá balançando Jogando o corpo pra trás Cuma quem vai se deitando Depois imbicá pra frente E ficá gineteando O balaio de Veremundo São dois ramo num só gáio Duas “arma” num só corpo Duas cartas no baráio Quem fala em Veremundo Tem que falá no balaio No balaio, o Veremundo Tem cincoenta ano de ensaio Vai fazê bôda e ôro De casado e do balaio Só pra ver o home dançá Ôi, nesta festa eu não fáio Pra essa festa vão os Danta Os Gonzaga e os Carváio Alencar num vai fartá Vai Rumão, e vai Sampaio Pra dar viva a Veremundo O invento desse balaio

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.