restaurar

Coronel Pedro do Norte

Luiz Gonzaga

Coroné Pedro do Norte É homem forte Coroné do bigodão Amigo do amigo Inimigo do inimigo Dizendo sim é sim Dizendo não é não Coroné tava danado Aperreando com a nova geração Dizia ele, Meto bala, mato tudo Num deixo um cabeludo E acabou-se a questão Mandou buscar Um delegado Pra perseguir cabeludos transviados Eu vou limpar Minha cidade Depois dormir Na maior tranqüilidade A minha menina que estuda Muito breve vai chegar Não é pra ela Nem de longe Um cabeludo avistar Coroné Pedro do Norte Um homem forte Estava ali com a multidão Prefeito, delegado A família de um lado Um padre de batina Beata e sacristão Coroné impaciente Viu finalmente O trem chegar na estação E a mocinha graciosa Foi saltando Desceu do trem puxando Um cabeludo pela mão

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.