restaurar

Sertão De Aço

Luiz Gonzaga

Lá lá lá rá rá Se você visse Como é o meu sertão Aí você diria Que eu falo com razão Lavoura lá Dá só com o cheiro de chuva Tem resistência O milho e o feijão Com uma chuva Em cada mês A coisa aumenta Que a lavoura lá agüenta Trinta dias de verão Trá lá lálá ai... Tem ano lá Que o inverno é variado Lucro e remessa Num canto e outro não O sertanejo ainda num desespera Com coragem ainda espera Pela safra de algodão Havendo safra Nem é bom falar Meu Deus do céu E com tanto samba que há O sertanejo Esquece logo o tempo ruim Finca o pé na dança Sem sentir cansaço No outro dia Cuida da obrigação Digo por esta razão Que meu sertão é de aço

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.