restaurar

Vida De Vaqueiro

Luiz Gonzaga

Eu quarqué dia Vou-me embora pro sertão Pois saudade Não me deixa sossegar Chegando lá Visto logo meu gibão Selo o cavalo E vou pro mato vaquejar O bom vaqueiro Traz sempre no alforge Farinha seca Rapadura, carne assada Mas tem um fraco Que é um vício que num foge Samba de fole Com muié desocupada Êi, êi, gado Êi, êi, gado Êi, êi, êi, êi, êi, êi,êi, êi, êi, boi... Vou pegar o cara preta Boto chocáio e careta E depois conto como foi

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.