restaurar

Caçando Marrecão

Teixeirinha

Dia primeiro de maio Eu me lenvantei cedinho A mary já estava pronta Pra nós sairmos a caminho O destino era caçar No banhadão do caminho Levei duas espingardas Da coronha cor de vinho Passamos por viamão Encontramos com zezinho Ele me disse teixeira Tu não vai caçar sozinho Eu vou buscar a julieta E a minha espingarda preta E o meu violão de pinho Armamos o acampamento Na beira de um riacho A mary mais a julieta Fervendo água no tacho O sol deitou no horizonte Que coisa linda que eu acho Eu disse pro companheiro Tá na hora eu não relaxo E entrou banhado adentro Dois cara valente e macho Os marrecões vem em bando Tu te agacha e eu me agacho Atirando de bom jeito Marrecão metendo o peito Morrendo e vindo pra baixo A mary com a julieta Veio nos dar uma mão Nos espalhando na água Ajuntando marrecão Voltamos pro acampamento Fogo grande, chimarrão Depois da janta esperamos A lua dar o clarão Sanfona chorava triste Contrapontiava o violão Meu peito cantava alto Uma milonga canção Meus companheiros afoite O eco dentro da noite Responde na imensidão Não tem coisa mais bonita Que um fogo de acampamento Um tiroteio cerrado Marrecões em movimento Depois que o revôo cessa Aceite - se o argumento Toma um bom aperetivo Depois um bom alimento Pega o violão e a corvina Com a lua no firmamento Cantando encerro a caçada Não esqueço um só memento Sanfona, a mary e o pinho A julieta e o zezinho Companheiro cem por cento