restaurar

Sabe Moço

Telmo de Lima Freitas

Sabe moço Que no meio do alvoroço Tive um lenço no pescoço Que foi bandeira pra mim E andei mil peleias Em lutas brutas e feias Desde o começo Até o fim. Sabe moço Depois das revoluções Vi esbanjarem brasões Pra caudilhos coronéis Vi cintilarem anéis Assinatura em papéis Honrarias para heróis. É duro moço Olhar agora pra história E ver páginas de glórias E retratos de imortais Sabe moço Fui guerreiro como tantos Que andaram nos quatro cantos Sempre seguindo um clarim. E o que restou, Ah sim No peito em vez de medalhas Cicatrizes de batalhas Foi o que sobrou pra mim. Ah sim No peito em vez de medalhas Cicatrizes de batalhas Foi o que sobrou pra mim.