restaurar

Boi Cigano

Tião Carreiro e Pardinho

Compositor:Tião Carreiro E Pardinho

Na cidade de Andradina com a boiada eu fui chegando Eu estava só com seis peões oitocentos bois nós vinha tocando Com esse gadão de raça naquela praça fui atravessando O ponteiro ia adiante com o berrante ia repicando. No meio dessa boiada eu levava um boi por nome cigano O mestiço era valente por onde andava fazia dano Ganhei o boi de presente na negociada dos cuiabanos Já vinha recomendado p'ra ter cuidado com esse tirano. O comprador deste gado na estação já estava esperando P'ra fazer o pagamento depois do embarque dos cuiabanos Joguei os bois na mangueira e gritei pros peões já podem embarcando Embarquemos os pantaneiros e no mangueiro ficou o cigano. Chegou naquela cidade o grande circo sul africano Uns homens c'o proprietário a respeito do boi tava comentando Insultou-me numa briga do leão feroz e o cuiabano Bati vinte mil na hora e jogos por fora estava sobrando. O circo estava lotado e o dado momento estava chegando Quando as feras se encontraram eu vi que mundo ia se acabando Uns gritavam de emoção e outros de medo estavam chorando Em vinte minutos o leão assentou no chão e ficou urrando. O leão é o rei das feras na selva ele é o soberano ai, ai, Com sentimento seu dono entregou o trono p'ro meu cigano ai, ai.