restaurar

Ladrão De Capado

Ze do Cedro E João do Pinho

Me contaram um certo dia Com muita sinceridade Uma história verdadeira Que não parece verdade O impossivel acontece Pode ser realidade, Quem contou foi um caboclo O homem conversa pouco Mas com muita autoridade. Na margem de uma estrada No interior do meu estado Certa noite um sitiante Acordou por um chamado, Levantou, abriu a porta Foi logo cumprimentado Me desculpe meu senhor Venho lhe pedir um favor Porque me vejo obrigado. Eu sou um caminhoneiro Trabalho como empregado Vou indo para São Paulo Com o Ford carregado Conduzindo porco gordo Para vender no mercado, Num buraco ali na estrada O carro deu uma bacada Caiu o porco mais pesado. Com a maior boa vontade O sitiante lhe atendeu Acordou os seus dois peões E também os filhos seus Os caboclos eram fortes Pegou o porco e suspendeu, Não cobraram um vintém Só Deus lhe pague e amém Muntou no Ford e rompeu. No outro dia o sitiante Como era acostumado Foi levar ração na ceva O portão estava quebarado E faltava um porco preto Por sinal o mais cevado Foi então que compreendeu Que o homem que ele atendeu Era ladrão de capado.