restaurar

Poema Dos Olhos

Alberto Costa

Deus criou o mundo e foi exímio em suas telas.
Até no olhar profundo expôs quatro cores belas,
cores belas.
ô..ô..ô..ô..Expôs quatro cores belas.
ô..ô..ô..ô..Expôs quatro cores belas.
Os olhos azuis são tristes e exprimem ternura.
Neles muito amor existe e também amargura,
amargura.
ô..ô..ô..ô.. Existe também amargura.
ô..ô..ô..ô.. Existe também amargura.
Os olhos castanhos são tristes e sonhadores,
cheios de amor e dissabores.
Os verdes, tentadores, são traiçoeiros também,
após despertarem amor fazem sofrer seu bem
como ninguém.
ô..ô..ô..ô.. Fazem sofrer como ninguém.
ô..ô..ô..ô.. Fazem sofrer como ninguém.
Gosto de todos sem nenhuma distinção
mas os olhos verdes são minha adoração.
Os olhos negros, vivos, são leais mas cobiçosos,
no amor são impulsivos e também muito amorosos, amorosos.
ô..ô..ô..ô.. São também muito amorosos.
ô..ô..ô..ô.. São também muito amorosos.
Os castanhos prá sempre estarão no coração.
Os azuis, meu tormento,
e os verdes, minha paixão, minha paixão.
ô..ô..ô..ô.. Os verdes, minha paixão.
ô..ô..ô..ô.. Os verdes, minha paixão.

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.