restaurar

Cubatão

Lailton Araújo

Cubatão, Cubatão, Cubatão As veias dessa terra São os rios que cortam o chão E as nuvens desse céu Devem ter cor de algodão Algodão, Cubatão Quero ver no seu peito Se ainda bate um coração Liberdade já morreu Quem lhe guia é a solidão Cubatão, Cubatão, Cubatão As chaminés do progresso e o lodo Tragam o seu destino Eu me calo, mas confesso Esse é o badalo do sino Cubatão, Cubatão, Cubatão O seu povo entristeceu E pede em procissão Que deixe as pontas da estrela E uma roseira no chão Cubatão, Cubatão, Cubatão O verde está bem fraco A terra nua sente frio Deixe uma árvore na serra E um peixe no rio Cubatão, Cubatão O ar é quem nos toca Aos pensamentos do justo Que cultiva as pétalas Da flor que dará o fruto Cubatão, Cubatão, Cubatão Já tive o prazer angustiante de sentir uma das tuas ruas, mas não tive, nem nunca terei a sensação de ser uma delas porque sou gente e é outro sentimento. Mas também não quero te odiar, nem ver teu rio se acabar de vez por falta de água e ar, num mar de gargantas secas com sede, onde calando, já não haverá silêncio... Cubatão, Cubatão, Cubatão

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.