restaurar

Letra - Festival De Cores

Pena Branca e Xavantinho

A vida simples no roceio me fascina Sua rosa pequenina Vem lá na furna da serra Onde ele fica deslumbrado a contemplar A sementinha brotar do ventre santo da terra Chega na roça logo assim que amanhece Vê as plantas que florecem lhe fazendo tão feliz E ao voltar para os braços da família Veio rindo pela trilha o cantar de um perdiz Na primavera, oh meu deus, o quanto é belo Um ipê-roxo outro amarelo em sinal de gratidão Bailam seus galhos em um festival de cores Para salpicar de flores o seu terreiro de chão Todas as tardes quando chega do rosado Banha seu corpo cansado na biquinha do munjolo E a cabocla percebendo seu cansaço Lhe acolhe em seus braços e lhe deita no seu colo Depois da janta tira a viola da parede A cabocla de olhos verdes vem por perto lhe ouvir Até a lua que fascina o universo encantada com seus versos Se esquece de dormir Na primavera, oh meu deus, o quanto é belo Um ipê-roxo outro amarelo em sinal de gratidão Bailam seus galhos em um festival de cores Para salpicar de flores o seu terreiro de chão

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.