×

Corrigir

Frenesi (versão Vídeo)

Apocalipse 16

Tudo acontecendo ao mesmo tempo
Nos fizemos cobaias de um letal experimento
Cegos guiados por cegos, levados como folhas pelo vento
Novos rebentos chegam ao mundo obscuro durante todo tempo
Insanidade matriz, Virtual realidade
Ossos que se quebram
Bosques que secam
Doentes que berram
Estradas que se sevam
- Todos os tronos querem legalizar.
Assassinaram aquele que pedia um bom lugar
Sabotagem tantos outros que por aqui não vão voltar
(Frenesi em sonho)
Crueldade entre os descendentes de Adão
A síndrome de Caim presente em cada coração
Decadência do sistema urbano
Confrontos pelo mundo em nome do poder
Mais insistem em dizer
Que o sangue derramado é pela paz
(na “paz”)
Ninguém acredita mais
Mentiras arrancam tiras de carne das costas de homens pobres
Lixo humano se dizendo nobre
Que o apocalipse se cumpra e a história se desdobre
Breve o ouro valerá tanto quanto o cobre
Sem comida, sem água, sem luz,
O homem abraçará a cruz

Frenesi (5x) (2x)

A babilônia vai cair
Ignição sim
Tudo vai ruir
Mande o que for
Seja onde for
O homem viverá o terror
Acabar os dias em quartos
Iniciou-se o tempo da guerra
Na era da ciência munição
supera em valor o grão da terra
Holocausto com armas ultramodernas
O combustível nessa era se encerra
sem água, amor sabe vai murchar
e secar em no pó da terra
em meio do caos a Cidade prossegue
não percebe que está ardendo na febre
corrupção, ganância bubônica peste
Intoxica o corpo contamina a alma
eis ai a prova da falha
jovens que não respeitaram regras
vivendo sem compromisso
pai que cresce sem juízo
gera filho sem juízo
e a periferia com isso amarga o prejuízo
mas o que não vai sobrar pra ninguém
nem madame nem neném
nem bandido nem refém
o fim de todas as coisas logo vem
a paz de Cristo é o que eu lhe ofereço
pegue ou vamos pagar o preço
de viver a eternidade sem endereço
pois por aqui
o inimigo promove o Frenesi

Frenesi (5x) (2x)

Conseqüência de uma consciência pesada de quem recebe o rei na pedrada
Troca a dor pelo amor e congela o calor
Da valor e honra ora quem não vale nada
Quase enlouqueci no mundo
Não me reconheci não
Até voltar a ser quem eu era como eu era quando eu nasci
Plenitude só alcança quem tem atitude
Então volta pro pai e descansa torre que não balança não cai
Traz presença onde vai
Diferencia entra na via El Shadai
Meu passaporte tem visto marcado pelo sangue de cristo
Sei que o homem e sua lei já não vale
Nem que pedras rolem para dentro do vale
Não a nada que abale minha fé, pois eu sei como é
Não me calo ate que a morte me cale
Ignorância a doença do novo milênio
Inocência mais rara do que o sonho
Escolha que te deixa melhor
Ser um servo de DEuS ou um saco de pancada de demônio
A molecada tem que saber que a brincadeira é seria
Que o sangue ruim não tira férias
Espera pra ver quando o fogo descer o que sobra
Examine seu pão, sua obra
Seja paz de Deus seu juízo
Já foi dado o aviso.
Meu caminho é bom e aqui eu vou
Quando a luz vem, as trevas sai já não dói,
Mais segura a mão do Pai
Não nasci pra esse frenesi.

Vai e não peque mais, pra não acontecer pior
Ninguém escuta, então do pó volte para o pó
Frenesi e ironia acontece por aqui
Eis que vem o tempo em que ninguém vai poder sorrir
(2X)


Veja também



Mais tocadas

Ouvir Apocalipse 16 Ouvir