×

Corrigir

Junto Aos Rios de Babilonia

Junto ao rio de babilônia
Assentamos e choramos
E lembramos de Sião
E os salgueiros que esta no meio
Dela penduramos nossas arpa e choramos
E os que nos atormentava
Pedia que nós alegraremos
E cantasse uma canção
Mas como entoaremos
Um cântico do senhor em terra estranhas

Mais confio no senhor que a tanta
Gente tirou de tão grande aflição
Mais o que será de mim
Se o senhor não ouvir minha humilde oração

Junto ao rio de Babilônia
Assentamos e choramos
E lembramos de sião
E os salgueiros que esta no meio
Dela penduramos nossas arpa e choramos
E os que nos atormentava
Pedia que nós alegraremos
E cantasse uma canção
Mas como entoaremos
Um cântico do senhor em terra estranhas

Mais confio no senhor que a tanta
Gente tirou de tão grande aflição
Mais o que será de mim
Se o senhor não ouvir minha humilde oração

Quantas vezes ele falou
E aos seus profetas usou estendeu a sua mão
Hoje estou eu em perigo porque não dei ouvido
Nem busquei em oração

Hoje eu sinto a minha dor
Mim arrependo hoje eu vou
Buscar Deus em oração
Mais o que será de mim
Se o senhor não ouvir minha humilde oração

Composição: Bento Alexandrino


Veja também



Mais tocadas

Ouvir Bento Alexandrino Ouvir