restaurar

Doce Mistério

Felipe

Descobre-me teus segredos,
deixando meu corpo
voar livre, leve dentre teus dedos,
e que assim sem medo,
possamos entender,
a grandeza do nosso mistério.
Sem pressa, sem promessa,
quero-te sem recato,
num pecado tolo,
sem receio, sem normas,
nessa hora, agora,
quando teu corpo
o meu corpo amorna.
Arrebata de mim o medo,
esse rastilho de frio
que meu ser devasta.
Agasalha minha alma
que está nua e só...
Abriga-a das duras chagas,
guarda-a das dores cruas.
Quero que me queiras,
assim como me vês,
um mortal de desejo encarnado,
um enxerto de vida.
Aquecida pelo acalanto
da manhã clara,
guarda-me da luz morta da tarde,
e da insípida solidão da cama,
na lentidão da noite.
Deixemos pelos tempos celebrados,
sem vírgula, sem trema, sem parágrafo,
nos escritos de um livro antigo, aberto, quieto,
repleto de poema em quarentena,
o doce mistério dos nossos abraços.

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.