restaurar

Era Uma Vez

Gilberto Alves

Era uma vez, num palácio encantado Uma princesa que o destino escravizou Um seresteiro que cantava na janela, gostou dela, E foi daí que a história começou: Os dois sonharam mil venturas, mas o Rei, Por tirania, bruscamente os separou. E a princesa foi trancada num castelo, Muito belo, E foi aí que a história terminou. Seresteiro, Esconde a dor dessa amizade, na saudade, Que o teu amor não volta mais, Sorria que ainda te resta a luz da lua A minha história é igual a tua Nossos destinos são iguais. Seresteiro, eu também tive uma princesa Que a crueza de um rei malvado me levou E hoje na minha estrofe mais singela Eu vou cantando o nome dela Triste lembrança que ficou.

comentário Deixe seu comentário

Máximo de 140 caracteres

 

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.