restaurar

Chororô

Gilberto Gil

Tenho pena de quem chora De quem chora tenho dó Quando o choro de quem chora Não é choro, é chororô Quando uma pessoa chora seu choro baixinho De lágrima a correr pelo cantinho do olhar Não se pode duvidar Da razão daquela dor Não se pode atrapalhar Sentindo seja o que for Mas quando a pessoa chora o choro em desatino Batendo pino como quem vai se arrebentar Aí, penso que é melhor Ajudar aquela dor A encontrar o seu lugar No meio do chororô Chororô, chororô, chororô É muita água, é magoa, é jeito bobo de chorar Chororô, chororô, chororô É mágoa, é muita água, a gente pode se afogar Chororô, chororô, chororô É muita água, é magoa, é jeito bobo de chorar Chororô, chororô, chororô É mágoa, é muita água, a gente pode se acabar

comentário Deixe seu comentário

Máximo de 140 caracteres

 

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.