restaurar

Trem Blindado

João de Barro

Meu bem, pra me livrar da matraca

Da língua de uma sogra infernal

Eu comprei um trem blindado

Pra poder sair no Carnaval...



Mulata, por teu encanto

Muito eu levei na cabeça

Porém agora eu duvido

Que isto outra vez aconteça

Do teu falado feitiço

Eu pouco caso lhe faço

Mandei fazer em São Paulo, mulata

Um capacete de aço



Mulata, quando eu te vi

Logo pedi anistia

Pois os teus olhos lançavam

Terrível fuzilaria

E pra ninguém aderir

Ao nosso acordo amoroso

Botei na porta da casa, mulata

Um canhão misterioso.

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.