restaurar

Letra - Cheiro De Galpão

Os Monarcas

Compositor:nilo Barros De Brum/sergio Rosa

Esta vaneira tem um cheiro de galpão Que reascende meu olfato de guri É pau-de-fogo da memória dos fogões Essência bugra que me trouxe até aqui Essa vaneira tem um cheiro chimarrão De seiva xucra derramada no braseiro Quando a fumaça do angico se mistura Bis Com um odor de figueirilha no palheiro Int. Esta vaneira tem um que de quero mais Que reativa o paladar que já foi meu Relembra a rapa da panela que furou E no cantinho da memória se perdeu Esta vaneira tem sabor de araçá Jabuticaba, guabiroba, ariticum Por isto lembro o tempo bueno de piá Bis Enlambuzado de pitanga e guabijú Int. Esta vaneira tem um dom de reviver Fazer as cores que o tempo desbotou Sentir as formas que o tato esqueceu E ser de novo o que eu fui e já não sou Esta vaneira tem um que de nostalgia Que traz de volta o romantismo do cantor Revigorando um coração que endureceu E não queria mais ouvir falar de amor Int.

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.