×

Biografia de Peão Carreiro e Zé Paulo

Embora a dupla só tenha se formado em 1984, o paranaense Peão Carreiro já ostentava uma bem-sucedida carreira de compositor, iniciada em 57. “Sonhei com Você” foi sucesso nas vozes de Milionário e José Rico, enquanto “Telefone Mudo” foi gravada pelo Trio Parada Dura. Também paranaense, Zé Paulo foi parceiro de Pimentel antes de se juntar a Peão Carreiro. Uma vez juntos, gravaram 5 discos, sendo cotados no início dos anos 90 como uma das melhores duplas sertanejas do país. Contudo, em 1993 – antes de completarem 10 anos de carreira juntos – a parceria se desfez. Em 1997, Peão Carreiro e Zé Paulo interpretaram a moda-de-viola "Porta do mundo" "[...] O destino é o meu calendário, o meu dicionário é a inspiração/A porta do mundo é aberta, minha alma desperta buscando a canção/Com minha viola no peito meus versos são feitos pro mundo cantar[...]", no CD "Modas de viola - volume 1" que ainda trouxe a participação de: Caçula e Marinheiro, Liu e Léu, Chitãozinho e Xororó, Leôncio e Leonel, Moreno e Moreninho, Nenete e Dorinho, Peão Carreiro e Zé Paulo, Pedro Bento e Zé da Estrada, Silveira e Silveirinha, Teodoro e Sampaio, Tonico e Tinoco, Vieira e Vieirinha, Zé Fortuna e Pitangueira; e Zico e Zeca. No final de 1994, quando Tinoco foi visitar amigos e descansar por alguns dias em Maringá/PR, encontrou o Zé Paulo (da ex-dupla Peão Carreiro e Zé Paulo) e depois de uma cantoria de repertório antigo, os dois músicos decidiram formar uma dupla e cantar junto. Em menos de 40 dias a nova dupla assinou contrato com a gravadora Transcontinental e foi para o estúdio gravar o primeiro e único CD. No início 1996 Tinoco e Zé Paulo decidiram em comum acordo por um ponto final na trajetória da dupla. Depois de alguns meses Zé Paulo voltou a cantar com o antigo parceiro Peão Carreiro, ficando até 1997. Em 1998, Praense reatou a dupla com Peão Carreiro, gravandomais um CD na Gravadora Atração Fonográfica. No entanto, Peão Carreiro adoeceu. E, em 1999, Peão Carreiro faleceu. Com a voz bem parecida com a de seu pai, o filho do Peão Carreiro formou com Praense a Dupla "Carreiro Filho e Praense" dando continuidade ao estilo de "Peão Carreiro e Praense". A nova dupla, no entanto, gravou apenas um CD.