×

Corrigir

Então Gambé

38 Mil Manos

Então gambé, eu sei qual é que é
O que cês quer é testar a minha fé
Mas eu não vou da migué não vou
Não vou roubar, muito menos me entregar
Eu, venho trampando de uns bagulho ando me recuperando
Meu plano não inclui teu clack
Muito menos teu click teu clack
Mas mesmo assim me parou, falou, falou falou se empolgou
Tem baseados, foram 4 que pediram ao meu favor
Argumentei que tô as pampa de drogas, mas ele desacreditou
Não botou fé, me revistou uh
E me pediu pra tirar meu boné
Falo das minha tatuagens
Perguntou se eu já tinha passagem
Quis me forja na pilantragem
Não gosto da frase de revolução
Que tinha na minha camisa do facção
Abriu a minha mochila jogo minha leda no chão
Que porra é essa função? Toma jeito moleque
Que mania vai cantar rap
Se os pivete se espelha em você
Vão chega nem a cresce
Aí Steve não é querendo, oh te desmerecer
Mas tô vendo que te falta desenvolver
Um pouco mais teu proceder
Eu até entendo que andar fardado é teu sustento
Mas o que eu não não compreendo
É pra que atrasar meu lado
Soldado, quando tirar suar farda também vai paga veneno
Na contra argumentação do debate, foi cheque mate
Porém atravessei o vale da morte
Eu me debrucei desde a primeira
Coronhada eu me lembrei na vila
Só mais um moleque correndo
Descalço e short que viveu uma vida desprovida
Que não dispensava a sorte
Sai bolado do enquadro olhando para todos os lado
Vai saber

Filho da puta pra acabar com meu rolê
Tem um monte quero viver oh
Rendeu até uma letra preferi usar papel e caneta
Do que buscar a vingança no zé buceta
Aquele loki mais um cu querendo ibope
Pensando que é robocob vai levra choque
Não tenho clok o nome, mais tenho
Tenho meu hip hop que me move pra fazer denuncia
A cada quebrada calada a cada dor
Que não se enquadra, em cada cura ali vejo o mar
Vida cessada pra cada mãe que sofre vendo a fechada
Pra cada casa que vive vivendo mal
Alimentar na modéstia a parte a arte da fafan
Essa parte é pra comandante então presta atenção
Se for covarde se joga ladrão, engatilhada
E apontada vem que tem metralhadora
De ideia. 50 pronta pra joga plateia

Ai ricardo eu fico puto revoltado
Esses sacos de lixo fardado vão sempre querer atrasar nosso lado
Eles vem na favela, tático qualquer
Joga uns verde, joga um migué
Firmeza, não tenho farinha
Na porra do saco, bolso ou no boné
Me revistam não acham nada, me pergunta várias paradas
Ai neguinho você é bandido
Trafica ou mexe com coisa errada

Você de farda, rato cinza do sistema só anda pra cima pra baixo
Não resolve nenhum problema, se liga na cena
Eu tranquilão na minha quebrada ali na bar, sábado a noite
Só dando risada
Passa uma viatura todo escura na calada, chegaram batendo
Em nós, sem a gente ter feito nada
Nem o dono do bar escapou, tomou borduada que até desmaio
Os gambé muito loko de crack, vai vendo, até estranhou
Gelei na hora tiu quando eles apontaram o cano
Vou morrer sem ter feito nada na mão da porra desses tiranos?
A minha sorte que é estou a um coxinha
Eles sairiam correndo voado, quase atropelaram a tiazinha

Policia despreparada é isso que me da raiva, na hora da ação
Esses verme ai se caga, por isso que eu sigo assim tranquilo
Também no sapatin
É mas fácil que pegar com gripisuina do que do pó e verdim
Ai gambe zuado marionete do sistema vocês podem ate me
Enquadrar mas eu não me enquadro no seu esquema

190 para chorar, 190 para sofrer
190 para matar, 190 para morrer

190 para chorar, 190 para sofrer
190 para matar, 190 para morrer

E o que? Que?
Na caminhada nunca tomou enquadro mentiu, mas se pá sentiu
O calor o ferro o frio as bitch no cio, os cum saio, bico se abriu
Brits civil, Rotan, Civil, 38 mil ali meu na frente, um brew, cepó tremeu
Correu, perdeu, fudeu enquadro tomou geral bateu, revisto
Vai pisar na ideia mando para e não paro
No morro um vapor de longe avisto o bico vindo, com má
Intenção os barraco destruindo
Uma velha senhora em defesa sem ação jugada sem do pela leu do cão
Que relata condenação de ladrão a pastor de corrupto safado
Juiz, doutor

Sistema guspi merda no ventilador antes de pensar em fuigir um
Servido me fito, proprina pra promotor pra tenta se safa
Tem um que chega pianinho e pede pra mão molhar
Ve se tem como aceitar o que o kama reservou
Saindo as 10 pela kebrada, um trombo coxa agressor
Onde ce vai essas hora com toque de recolher
Se eu te apagar não vai fazer falta é só mais um corpo pra feder
Ve se da pra compreender essa juridição não faço parte
Dessa guerra que envolve função
Pra onde eu vo correr se eu já nasci assim, eu vou orar
Pelos irmãos antes que chegue meu fim

Assim Que Eu Vou, Na Humildade
Assim Eu Sou Os Cole No Sonho De Um
Trabalhador Pra Acaba Com Os Noia Eles Tem
5 No Tambor Então Eu Sei Que Já É, Assim Prossigo
Na Minha Fé


Veja também



Mais tocadas

Ouvir 38 Mil Manos Ouvir