restaurar

Tocava no rádio uma canção
Dessas que a gente até para pra escutar
A voz suave tinha encantos
Pois pra falar de campo não requer gritar
A chuva chegava até a calçada
Você quase molhada pediu pra entrar...

Tomou um mate
Descontraída
Falou da vida
Até a chuva passar
Desprevenido
Molhou meus planos
Regou meus sonhos
De te amar

Passou a chuva
Veio o sol mas não secou
A minha alma encharcada de esperança
Ligo radio
Faço versos
Milongueio
Mas só te encontro
Nas curvas da lembrança

Espero a chuva
Feito um rio
Meu peito é canto
Bem estio

Outro dia, junto ao vidro da janela
De saudade o teu nome sussurrei
Por momento a silhueta do teu rosto
Na vidraça da janela vislumbrei
Se a terra ressecada espera a chuva
Caindo feita estrelas pelo chão
Pra mim cada pingo é diamante
Brilhando na palma da minha mão

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.