restaurar

Letra - A Morte do Meu Avô

Luiz Gonzaga

Eu era pirritotinho Quando mamãe decretou Você é quem vai vingar A morte do seu avô (bis) Ganhei punhal enfeitado Daquela que me criou Crescí pensando em vingar A morte do meu avô A morte do meu avô (bis) Vida triste, triste vida Vida triste, meu viver Eu já tinha inimigo Muito antes de nascer } bis Cartilha era o meu rifle Caneta o meu punhá Eu na caatinga entrei Aonde fui estudar (bis) A professora era o ódio Cangaço educação Na reza forte encontrei A minha religião A minha religião A minha religião Eu queria ser alegre Eu queria namorar Eu queria uma viola Eu queria o luar Mas eu fui o escolhido Tinha mesmo que matar Se o ódio e a vingança Tem força de satanás Mais força tem o amor Fazendo o que ninguém faz (bis) Mostrou-me a providência Os olhos de Guiomar Eu nunca mais atirei Guardei inté meu punha Guardei inté meu punha (bis)

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.