restaurar

Letra - Cabocleando

Luiz Gonzaga

No semblante Ele tem a verdade O esforço se vê na mão O sorriso é coisa rara No caboclo do meu sertão Ele enfrenta o tempo disposto Não conhece a recessão Ele briga com a natureza No inverno e no verão São as qualidades natas Do caboclo do sertão Respeita, cobrando o mesmo Não aceita provocação Medo não tem vidência No caboclo do sertão Só a saudade é que mata O homem deste rincão Bastante somente deixar O seu pedaço de chão É quando os olhos marejam No caboclo do sertão Tem amor e ninguém sabe Tem tristeza e ninguém ver Tem carinho à sua moda Pra ninguém compreender Por aí está se vendo Que também tem coração É a rudeza nativa Do caboclo do sertão } bis

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.