restaurar

Lampião Falou

Luiz Gonzaga

Eu não sei porque cheguei Mas sei tudo quanto fiz Maltratei fui maltratado Não fui bom, não fui feliz Não fiz tudo quanto falam Não sou o que o povo diz Qual o bom entre vocês? De vocês, qual o direito? Onde esta o homem bom? Qual o homem de respeito? De cabo a rabo na vida Não tem um homem perfeito } bis Aos 28 de julho Eu passei por outro lado Foi no ano 38 Dizem que fui baleado E falam noutra versão Que eu fui envenenado Sergipe, Fazenda Angico Meus crimes se terminaram O criminoso era eu E os santinhos me mataram Um lampião se apagou Outros lampiões ficaram } bis O cangaço continua De gravata e jaquetão Sem usar chapéu de couro Sem bacamarte na mão E matando muito mais Tá cheio de lampião E matando muito mais Tá assim de lampião E matando muito mais Na cidade e no sertão E matando muito mais Tá sobrando Lampião

comentário Deixe seu comentário

Máximo de 140 caracteres

 

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.