restaurar

Letra - Serrote Agudo

Luiz Gonzaga

Passando em Serrote Agudo Em viagem incontinente Vendo a sua solidão Saí pesando na mente Eu vou fazer um estudo Prá contar á miúdo Quem já foi Serrote Agudo Quem está sendo no presente Já foi um reino encantado Foi berço considerado Quem conheceu seu passado Acha muito diferente Aonde o touro em manada Berrava cavando o chão Fazendo revolução Nos tempos época de trovoada Dando berros enraivado Por achar-se enciumado Do seu rebanho afastado Vacas que lhe pertenciam A sombra do Juazeiro Já lhe esperando o vaqueiro Com seu cachorro trigueiro Como seu grande vigia Vaqueiros e moradores Encantos, belezas mil Onde reinavam os fugores De um major forte e viril Rico, porém animado Fazia festa de gado Onde o vaqueiro afamado Campeava todo dia Hoje sem Major sem nada Só se ver porta fechada Não se vê mais vaquejada Não reina mais alegria

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.