restaurar

Testamento De Caboclo

Luiz Gonzaga

Posso morrer Mas desta vida não me queixo E na toada Vou dizer tudo que deixo Deixo o roçado Bonitinho e bem cuidado Uma galinha Com pintinho no cercado Deixo o riacho E o murmúrio da cascata A noite linda No sertão banhado em prata Deixo cantando Passarinho em cada galho E deixo a honra De uma vida de trabalho Moça bonita Caboclinha, linda flor Não chores nunca Minha falta, por favor Moça bonita Caboclinha, linda flor Só jogue flores Pra enfeitar o nosso amor Posso morrer Mas desta vida não lamento Quem morre pobre Deixa pouco em testamento Deixo uma vaca E uma cabra bem gordinha Uma palhoça De sapé, já pintadinha Deus me perdoe Mas só quero por direito Levar comigo A viola junto ao peito Se alguém ouvir Uma voz triste à beira-rio Foi eu cantando Pro luar, um desafio Moça bonita Caboclinha, linda flor...

comentário Deixe seu comentário

Máximo de 140 caracteres

 

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.