Pela Entrada De Serviço

Emílio Santiago

pela entrada de serviço, pra não dar o que falar eu uso de artifícios,vou ao último andar fazer amor,pensando bem levar calor a quem tem tudo e nada tem, fazer amor,pensando bem levar calor,a quem tem tudo e nada tem no corredor, no corredor acarpetado,espelhado me admiro no relfexo sem complexo do meu sexo ao soar a campainha que loucura vejo aquela que me adora,que me adora nosso amor é proibido,escondido e por isso ela chora,ela diz que vai embora é aí que eu deito e rolo me embolo,me embolo,me embolo e perco a noção das horas é aí que eu deito e rolo me embolo,me embolo,meembolo e perco a noção das horas laia,laia,laia laia,laia,laia

* A letra está errada? Por favor, envie a correção

* Essa letra é repetida ou pertence a outro artista? nos informe