restaurar

Letra - Meia-volta

Chico Buarque

Meia-luz de candeeiro Passos no terreiro Sombra no pomar Noite escura sem cruzeiro Nada que apontasse Pra qualquer lugar Meio rosto na soleira Um sorriso incerto A me acompanhar Meia-volta, volta e meia Como não soubesse Se devesse entrar Sua vinda é travessia E sei que anuncia Fogo, vendaval Mas nada disso importa, Pode entrar Por ao menos um instante Diga que só veio para me levar Por estradas bem distantes Onde ninguém passe Onde passa o mar Entre versos e cantigas Por toda essa vida Vamos caminhar Ah, eu queria apenas acreditar Acreditar Sei que já vai embora Não se demora, não vai ficar Mas não me deixe agora Sem o descanso do seu olhar Deixe ao romper da aurora Surgir o dia , eu me acalmar e quando fôr a hora quem sabe eu possa até não chorar

comentário Deixe seu comentário

Máximo de 140 caracteres

  • Cesars Cesars 10/4/2009 6:39:01 AM Linda: um tanto campesinha...um tanto d'além mar...não foi sem motivo que Chico a adotou ! Que bom ter esbarrado com Cristina no Música da Boa: ela tá lá, no blog do Gringo. ✏ responder
 

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.