×

Corrigir

Chuva de Novembro

De Um Filho, De Um Cego

Que chova a chuva de novembro,
Eu não quero mais saber.
Que os galhos quebrem com o vento,
Que eu perca o dia amanhecer.

Não quero ter nada mais pra aproveitar,
Se não eu e você, nós dois neste lugar.
Saborear a beleza de ouvir a sua voz,
E assim ter a certeza, que aqui estou bem melhor.

Que inunde ruas e calçadas,
Eu não me importo mais.
Que a água leve minhas sandálias,
Pra mim tanto fez e tanto faz.

Eu não quero mais ter nada pra me preocupar,
Se não eu e você, nós dois olhando o mar.
Saborear a beleza de ouvir a sua voz,
E assim ter a certeza que aqui estou bem melhor


Veja também



Mais tocadas

Ouvir De Um Filho, De Um Cego Ouvir