restaurar

Letra - Galo Carijó

Jacó e Jacozinho

As moça de hoje em dia Nenhuma gosta que os violeiros cante Ela gosta é dos baile Porque ela dança com seus amante Os velhos gosta é de moda Que canta desde o tempo de dante, Ele entra no catira E ele quer que os violeiros cante Toma um gole de quentão Bate o pé que nem gigante Faz sentir pra rapaziada Virar o facão com o cabo pra diante... Nas festas de hoje em dia Todas as mocinhas já sabe o jogo Convida sua mãe pra ir Que a velha sempre já toma um logro Chega, arranja namorado Já com a desculpa de arranjar sogro, O velho fica de lado Fica com o zóio que nem João Bobo Se a filha for bonita Tem medo de haver roubo Bem vale viver casada Pra viver com a orelha pegando fogo. Nossa fama sempre corre Aqui o nome dos dois Jacó Quando eu saio em festa longe Levo a violinha de tira-có Quando eu entro no catira Risco no pinho e é uma vez só, Faço moça trocar vestido E olhar no espelho pra passar pó Os velhos lá da fogueira Vem fazendo caracó Só pra ver a rebanada Batida de espora do carijó. Se eu contar a minha vida Que muita gente de mim tem dó Já fui moço advertido E gozei os tempos que foi melhor Violeiro depois que casa Pra fazer moda ainda fica pior, Se a mulherzinha for brava Ela chama ele só de bocó Chama ele de galo velho Canta em cima do paió Já cantei em terreiro alheio Todos correram do carijó.

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.