×

Corrigir

Dois Altares

Tati Monteiro e Rodrigo Pinheiro

Linda, sem querer, te conheci ao pé da lua
Sorte sem explicação
Brilha teu sorriso e ilumina a pele tua
Fonte de inspiração
Barco que me leva navegando em novos mares
Ares que ainda não respirei
Bocas se encontram abençoadas
Dois altares
Um pra mim e um pra você também

Alvos do passado eu não quero atingir
Asas de um anjo te permitem voar
Encontro inevitável não tem como fugir
De alguém que espera sem pressa te reencontrar

Braço, laço na cintura, cena de novela
Deixa o plano terminar
Olho no meu olho inevitável de tão bela
Agora é só deixar rolar
Fim de noite, quase dia, a lua se despede
Tempo para pra não terminar
Só o telefone e aquele gosto bom
Foi o que sobrou pra relembrar

Mas se é proibido ninguém nos avisou
Sem conhecer o destino nos pegou
Agora já tá feito não tem como evitar
Se estamos errados problema de quem nos julgar

Se o acaso quis assim
Como parar?
Se aproximou de mim
Mas diz que não dá
Prende ao passo o fim
Mas em frente a mim
Vê a chance que a vida te deu para recomeçar

Braço, laço na cintura, cena de novela
Deixa o plano terminar
Olho no meu olho inevitável de tão bela
Agora é só deixar rolar
Fim de noite, quase dia, a lua se despede
Tempo para pra não terminar
Só o telefone e aquele gosto bom
Foi o que sobrou pra relembrar

Mas se é proibido ninguém nos avisou
Sem conhecer o destino nos pegou
Agora já tá feito não tem como evitar
Se estamos errados problema de quem nos julgar

Se o acaso quis assim
Como parar?
Se aproximou de mim
Mas diz que não dá
Prende ao passo o fim
Mas em frente a mim
Vê a chance que a vida te deu para recomeçar

E nasce à noite, em frente ao mar, um novo amor
Com dois altares para abençoar

Composição: Rodrigo Pinheiro


Veja também



Mais tocadas

Ouvir Tati Monteiro e Rodrigo Pinheiro Ouvir