restaurar

O Grande Sertão

Pena Branca e Xavantinho

Ei o sertão é o meu lugar Dos campos e matagais Onde canta os passarinhos Nas colunas da Gerais No chão de terra batida Ao longe se vê o pó Com o barulho dos cascos Dos trilhos em caraco No passo lento do tempo Com o grito da multidão Numa estrada sem saída Na poeira desse chão Numa estrada sem saída Na poeira desse chão Ei o sertão é o meu lugar Dos campos e matagais Onde canta os passarinhos Nas colunas da Gerais Pra não perder a esperança Semente porém botão Sei vaga vida que jorra Se faz o verde tendão Quem me dera mesa farta Do vinho do mel e do pão O que seria da vida Sem o fruto do meu chão O que seria da vida Sem o fruto do meu chão Ei o sertão é o meu lugar Dos campos e matagais Onde canta os passarinhos Nas colunas da Gerais

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.