restaurar

Rancho Triste

Pena Branca e Xavantinho

Seu moço, lá na roça ainda existe Um ranchinho muito triste Porque não tem morador Um dia o lavrador cheio de filhos Deixou a roça de milho E pra cidade se mudou Pensando ser feliz mais que na roça Deixou a sua palhoça Pra morar no arranha-céu Mas tudo não passou de um sonho antigo Hoje sem lar, sem abrigo Desempenha o seu papel E a morena tem saudade da viola E o caboclo tem saudade do sertão E hoje, sem terra e sem moradia Vive na periferia Solitário e sem razão Agora nem João, nem Maria Só revoltas todo o dia Na procura do seu chão E aquele rancho triste lá no mato Espera seu filho nato Pra de novo ser feliz A volta pro sertão de um sertanejo É maior que um desejo É viver e ser feliz E a morena tem saudade da viola E o caboclo tem saudade do sertão.

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.