restaurar

Rio-bahia

Lailton Araújo

É caminhão, Rio-Bahia é caminhão É pau-de-arara, céu azul de avião Gente em pedaço fugindo do lugar Do sol aceso sem nuvem pra esfriar Rio-Bahia, Nordeste inteiro no corpo Sem alegoria é pó, suor de um povo Doce, beleza, sabor de esperança Manhã valente com fulgor, cabelo e trança É cor de lua, estrela radiante, céu Dor crua e nua, dedo sem anel Estrada musa, projeção do meu olhar Esteira ruiva onde o sol se espreguiçar Sangueira braba, mares de léguas minhas Destino côncavo, cetim, telim de Minas Quem faz Sertão com o Sul se esposar Artéria velha, rainha do estradar

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.