restaurar

União

Maumbu

Vilela E eu desci a milhão Avenida Hiojiro Destino bar do jota, reunião dos envolvido Na terra do perigo eu perdi muito amigo Mas não convicçõess, valorizo os meus motivos Eu divido meu prato mesmo com a fome gigante Com a sede de vitória eu vou tomar um tsunami Por isso eu tô pé e vou fazer por onde Que a verdade se revele, eu sempre tive fé no bonde Não me chame pra participar de trap, moleque Se a merda do seu tema é grana e back Então esquece, eu vou ficar na minha, relax Porque eu sempre fui cria, do bom e velho boom bap Ei, mas eu não quero saber qual é a sua opnião Ouvi uns rap sentado, pra você entender a visão Muitos vêm, muitos vão, restam poucas na disputa Mudar? Não! O Vilela nunca muda DiSilva E noiz não muda, fazendo muita merda que se aduba a vida Minha muda de arruda pros parça, truta, tá colhida Família reunida, sem divisão de bens Olho gordo, passa longe, mau-olhado são vaivéns Vou no pinote, nos dote, maumbeiro, ponta-de-lança Tô com os fiote, decotes, firmando só aliança É bica na ganância, e os bico não se envolve O caos já formado, no Tajo o free se desenvolve Só locki, pulmão azedo de camelo Dois tapa e Amstel já vai fritando o cerebelo Ancião, respeita o vô, avançado em lealdade Minha decência devo a ela, minha eterna divindade Da verdade sou nutrido, instruído na prudência Um por todos, tudo unido, no alcance: sapiência Nossa máxima excelência com o dever a ser cumprido Competência na caneta e o coração às vezes ferido MNess Eu já me movia e ria Eu sabia que eu podia acreditar No dia a dia, correria pá carai pra fazer virar Vi que a vida é mais que só ilusões e dilemas O rap é muito mais que só puta, drogas e emblemas Me tirem as algemas, busco uma solução Tanto quando a luz do poste apaga e clareia a visão Eu passo a visão: não dá mole que a porta fecha A rua cobra sua postura e é melhor cê não dá brecha, jow Cuido dos meus Eu quero os meus Melhor que os seus E se não gosto que vá com Deus Tanto faz pra mim, eu tô contra o sistema Minha banca é pesada, nostra veio pra causa problema Diferenciado, viemo ser original Não pago pau pra gringo, não Maumbu, Ness é pele Brown Caos verbal, viemos na sua mente da um nó A família é complicada, mas nós representa um só Hartmann E me chamaram pra jogar, me passa a dez e a braçadeira No banco não fico mais, ninguém vai hastear bandeira Então eu vou descer a lenha, a lenha eu vou descer União minha bola esquerda, eles querem pisa no cê Já tô vendo já de um tempo Nostralaje calejada, Maumbu vive o momento Projeções, acontecimentos, vivendo o talento Cuspo no lamento, ninguém tá tremendo Vivão e vivendo, minha postura de cimento já secou E não se molda, não preciso jogar a corda com sua língua cê se enforca Cause im hustler, cause im hustler Capitão Gancho vou botar todos Peter Pan na prancha Capitão gancho vou jogar todos Peter Pan da prancha

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.