restaurar

Deusa Do Asfalto

Adelino Moreira

Um dia sonhei um porvir risonho E coloquei o meu sonho Num pedestal bem alto Não devia e por isso me condeno Sendo do morro e moreno Amar a deusa do asfalto. Um dia ela casou com alguém Lá do asfalto também E dizem que bem me quer E eu triste boemio da rua Casei-me também com a lua Que ainda é a minha mulher É cantando que carrego a minha cruz Abraçado ao amigo violão E a noite de luar já não tem luz Quem me abraça é a negra solidão É, é, é, eeé cantando que afasto do coração Esta mágoa que ficou daquele amor Se não fosse o amigo violão Eu morria de saudade e de dor

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.