restaurar

Esmagando Rosas

Adelino Moreira

Eu bem me lembro

Quando eras pequenina

Já formosa e bem traquina

A brincar no teu jardim,

Se eu exaltava

O perfume de uma rosa

Que mostrava invejosa

E o brinquedo tinha fim.

Depois, sorrindo

Amuada e caprichosa

Tu esmagavas a rosa

Sem ter dó nem compaixão

E a flor era esmagada

Sem queixume

Mas deixava o seu perfume

Por vingança, em sua mão.



Agora que os anos transcorreram

As roseiras floresceram

E há flores lindas, em profusão

Eu vejo-te risonha, vaporosa

Caminhar por entre as rosas

Mais formosa que um botão

Agora que acaricías as flores

Maltratando teus amores

Porque não amas a ninguém

Eu, que condenava o que fazias

Passo parte dos meus dias

A esmagar rosas, também...

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.