restaurar

Fim De Estrada

Adelino Moreira

Estou chegando ao fim da minha estrada
Sem nada pra deixar quando partir
No mundo quem não segue em linha reta
Não vive a vida, vegeta
De algum calço no porvir

Cansei de andar aos trancos e barrancos
E quero finalmente descansar
E antes que despontem os meus cabelos brancos
Eu vou a minha vida transformar

Para isso é necessário
Que você diga que sim
Para isso é necessário
Que você goste de mim
Eu deponho em sua mãos
Este resto de destino
Pois estando nos seus braços
Eu me sinto pequenino

Para isso é necessário
Que você diga que sim
Para isso é necessário
Que você goste de mim
Eu deponho em sua mãos
Este resto de destino
Pois estando nos seus braços
Eu me sinto pequenino

Estou chegando ao fim da minha estrada
Sem nada pra deixar quando partir
No mundo quem não segue em linha reta
Não vive a vida, vegeta
De algum calço no porvir

Cansei de andar aos trancos e barrancos
E quero finalmente descansar
E antes que despontem os meus cabelos brancos
Eu vou a minha vida transformar.

Todas as informações deste site são postadas inteiramente por seus usuários e seus dados podem conter erros. O Letras exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas. Entre em contato conosco caso haja interesse em editar ou excluir alguma informação.

É proibida a reprodução das músicas encontradas em nosso site em quaisquer outros meios, sendo permitida somente a visualização das mesmas (Lei 9610/98). Todas as letras de músicas em nosso site são divulgadas apenas para fins educacionais e são propriedade de seus autores. All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.